sexta-feira, 5 de março de 2010

UM NOVO DESAFIO

A Teresa do "Ematejoca Azul", muito gentilmente levou-me a aceitar este desafio, ao qual correspondo com amizade, certa de que me ficarão a conhecer um pouco melhor. Aproveiro para agradecer o selinho que a Teresa me enviou.



Assim:

1 — Mania

Não me deitar sem vir até ao computador despedir-me dos amigos

2 - Pecado capital

Ser muito sensível

3 — Melhor cheiro do mundo

O cheirinho das roupas dos meus netos

4 — Se o dinheiro não fosse problema

Faria com que todos à minha volta vivessem bem

5 — História de infância

Num domingo de verão, ia com os meus pais a pé pela Avenida da Boavista abaixo no sentido do mar. A alegria e vivacidade dos meus 4 anos levava.me a ir correndo sempre à frente. Por vezes parava e voltava para junto deles.
Como era uma criança sossegada e havia pouquíssima gente pela rua, os meus pais davam-me espaço.
A certa altura passei por um daqueles portões de uma enorme moradia...
Cheguei-me a ele e ... cedeu.
Vi que estava aberto.
Continuando com a brincadeira e para jogar às escondidas com os meus pais, entrei e bati com o portão com toda a força.
Coitada da Rita e do António ... correram, tentaram impedir-me, mas já era tarde.
A respiração quase lhes parou, quando de trás da casa surgem dois enormes cães.
O meu pai agarrou-se à campainha, enquanto a minha mãe tentava agarrar-me pela mão através das grades para que eu não corresse e assustasse os cães.
Eles vieram em correria desenfreada pelo quintal abaixo e perante o terror dos meus pais, ao chegarem perto de mim, sentaram-se um de cada lado calminhos como a proteger-me.
Enquanto isso, o meu pai continuava agarrado à campainha.
Uns minutos depois surgem duas empregadas um tanto despenteadas, que foram retiradas ao seu momento de sesta.

Tudo terminou bem ... porque ... sei lá porquê?

Hoje, 61 aanos volvidos, entro muitas vezes nessa casa para ir buscar o meu neto. A casa foi transformada num Jarim Infantil.

6 — Habilidade na cozinha

Transformar os restos num pitéu e o que sai mal num prato requintado.

7 — Frase preferida

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho,quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho

8 — Passeio para o corpo

Cortar a relva do meu refúgio campestre

9 - Passeio para a alma

Assistir a um concerto de piano

10 — O que me irrita

A mentira! A Ingratidão, A Injustiça e a Falta de Amor

11 — Palavras que mais uso

Não te importas
Por favor
Desculpa
Gosto de ti
Não te iludas

12 — Palavrões

Não consigo dizer palavrões... Se alguma vez o fiz foi em surdina

13 — Talento oculto

Não oculto nada

14 — Não importa que esteja na moda, jamais usaria

Uma minisaia

15 — Queria ter nascido a saber

Fazer os outros felizes e a defender-me dos outros (Não há meio de aprender e quando tento fazê-lo ... é uma desgraça!)

PASSO ESTE DESAFIO ÀS PESSOAS QUE VIEREM VISITAR-ME.
TEREI MUITO GOSTO EM CONHECÊ-LAS MELHOR. cOMO RECOMPENSA LEVEM TAMBÉM O SELINHO.

2 comentários:

Pó de Estrela disse...

Um beijinho doce neste dia de todas nós!

Canduxa disse...

Licas,
a Teresa também mepassou este desafio mas não sei quando terei tempo para o fazer....parece que ele, o tempo, se escapa por entre os dedos.

Gostei da tua história de infância...a inocência das crianças é linda.


beijinhos