segunda-feira, 2 de Julho de 2012

quinta-feira, 12 de Abril de 2012

OUTRA CURIOSIDADE DA HISTÓRIA

I N T E R E S S A N T E ! ! ! ! ! !
Mistério da História


Pergunta a um professor de história se ele ou ela consegue explicar isto...
mas eu penso que não vão conseguir.


Abraham Lincoln foi eleito para o Congresso em 1846.

John F. Kennedy foi eleito para o Congresso em 1946.

Abraham Lincoln foi eleito Presidente em 1860.

foi eleito Presidente em 1960.

Ambos se preocupavam muito com, sobretudo, os direitos civis.
Ambas as suas esposas perderam crianças enquanto habitavam a casa branca.
Ambos os Presidentes foram assassinados numa sexta-feira.
Ambos os Presidentes levaram um tiro na cabeça.
E agora é que se torna mais estranho:
O secretário de Lincoln chamava-se Kennedy,
O secretário de Kennedy chamava-se Lincoln.
Ambos foram assassinados por alguém dos estados do sul.
Ambos os Presidentes foram sucedidos por um homem do sul chamado Johnson.
Andrew Johnson, que sucedeu a Lincoln, nasceu em 1808.
Lyndon Johnson, que sucedeu a Kennedy, nasceu em 1908.










John Wilkes Booth, que assassinou Lincoln, nasceu em 1839...

Lee Harvey Oswald, que assassinou Kennedy, nasceu em 1939...


Ambos os assassinos eram conhecidos pelos seus 3 nomes.
Ambos os seus nomes eram formados por 15 letras.

E agora, segura-te:

Lincoln foi assassinado num teatro chamado "Ford"
Kennedy foi assassinado num carro da marca Lincoln, feito pela "Ford"

Lincoln foi assassinado num teatro e o seu assassino correu para um armazém para se esconder.
Kennedy foi assassinado a partir dum armazém e o seu assassino fugiu para um teatro e escondeu-se lá.

Booth e Oswald foram assassinados antes do seu processo.
E aqui vai a cereja no topo do bolo....

1 semana antes de Lincoln ser assassinado, ele esteve em Monroe, no estado de Maryland
1 semana antes de Kennedy ser assassinado, ele esteve com Marilyn Monroe.


QUEM É QUE PESQUISOU TUDO ISTO

Incrível: VÊ MAIS


1) Dobra uma nota de $20 nova em duas partes...


2) Torna a dobrar e cuida de a dobrar exactamente como na imagem abaixo



2)Dobra a outra parte tal e qual como aqui


3) Agora vira-a...

Que coincidência! um simples dobrar geométrico duma nota de $20 dollar revela uma catástrofe, visível em todas as notas de 20 dólares!!!

COINCIDÊNCIA????

terça-feira, 10 de Abril de 2012

SEREIA OU BALEIA?





PARA TODAS AS MULHERES ... (Agora que o verão se aproxima )


Há uns dias, numa cidade de França, um cartaz, com uma jovemespectacular, na montra de um ginásio, dizia:
"Este verão, queres ser sereia ou baleia?"

Dizem que uma mulher jovem-madura, cujas características físicas não interessam,respondeu à pergunta publicitária nestes termos:

"Estimados Senhores:
As baleias estão sempre rodeadas de amigos (golfinhos, leões-marinhos, humanoscuriosos). Têm uma vida sexual muito activa, engravidam e têm baleiazinhasternurentas, às quais amamentam.
Divertem-se à brava com os golfinhos, enchendo a barriga de camarões.
Brincam e nadam, sulcando os mares, conhecendo lugares tão maravilhosos como aPatagónia, o mar de Barens ou os recifes de coral da Polinésia.
As baleias cantam muito bem e até gravam CD's. São impressionantes epraticamente não têm outros predadores além dos humanos. São queridas,defendidas e admiradas por quase toda a gente.

As sereias não existem. E, se existissem, fariam fila nas consultas dospsicanalistas, porque teriam um grave problema de personalidade, "mulherou peixe?".
Não têm vida sexual, porque matam os homens que delas se aproximam, além disso,por onde? Por isso, também não têm filhos. São bonitas, é verdade,
mas solitárias e tristes. Além disso, quem quereria aproximar-se de umarapariga que cheira a peixaria?
Para mim está claro, quero ser baleia.

P.S.: Nesta época em que os meios de comunicação nos metem na cabeça a ideia deque apenas as magras são bonitas, prefiro desfrutar de um gelado com os meus filhos, de um bom jantar com um homem que me façavibrar, de um café e bolos com os meus amigos.

Com o tempo ganhamos peso, porque ao acumular tanta informação na cabeça,quando já não cabe, espalha-se pelo resto do corpo, por isso não estamos gordas, somos tremendamente cultas. A partir de hoje,*quando vir o meu rabo no espelho, pensarei, Meu Deus, que inteligente quesou..." *

terça-feira, 20 de Março de 2012

COLBERT E MAZARINO DIALOGANDO


Diálogo entre Colbert e Mazarino durante o reinado de Luís XIV, na peça teatral Le Diable Rouge, de Antoine Rault:

Colbert: - Para arranjar dinheiro, há um momento em que enganar o contribuinte já não é possível. Eu gostaria, Senhor Superintendente, que me explicasse como é possível continuar a gastar quando já se está endividado até o pescoço ...

Mazarino: - Um simples mortal, claro, quando está coberto de dívidas, vai parar à prisão. Mas o Estado ... é diferente !!! Não se pode mandar o Estado para a prisão. Então, ele continua a endividar-se ... Todos os Estados o fazem !

Colbert: - Ah, sim ? Mas como faremos isso, se já criámos todos os impostos imagináveis ?

Mazarino: - Criando outros.

Colbert: - Mas já não podemos lançar mais impostos sobre os pobres.

Mazarino: - Sim, é impossível.

Colbert: - E sobre os ricos ?

Mazarino: - Os ricos também não. Eles parariam de gastar. E um rico que gasta faz viver centenas de pobres.

Colbert: - Então como faremos ?

Mazarino: - Colbert ! Tu pensas como um queijo, um penico de doente !
Há uma quantidade enorme de pessoas entre os ricos e os pobres: as que trabalham sonhando enriquecer, e temendo empobrecer.
É sobre essas que devemos lançar mais impostos, cada vez mais, sempre mais ! Quanto mais lhes tirarmos, mais elas trabalharão para compensar o que lhes tiramos. Formam um reservatório inesgotável.
É A CLASSE MÉDIA !

quinta-feira, 15 de Março de 2012

terça-feira, 13 de Março de 2012

RATOEIRA EM CASA ...



Um rato, olhando pelo buraco na parede, vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote.
Pensou logo no tipo de comida que haveria ali.
Ao descobrir que era ratoeira ficou aterrorizado.
Correu ao pátio da fazenda advertindo a todos:

- Há ratoeira na casa, ratoeira na casa !!

A galinha:

- Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que isso seja um grande problema para osenhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda.
O rato foi até o porco e:

- Há ratoeira na casa, ratoeira !

- Desculpe-me Sr. Rato, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser orar.Fique tranqüilo que o Sr. será lembrado nas minhas orações.

O rato dirigiu-se à vaca e:

- Há ratoeira na casa!

- O quê? Ratoeira? Por acaso estou em perigo? Acho que não!

Então o rato voltou para casa abatido, para encarar a ratoeira.

Naquela noite, ouviu-se um barulho, como o da ratoeira pegando sua vítima.. A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia pego. No escuro, ela não percebeu que a ratoeira havia prendido a cauda de uma cobra venenosa. E acobra picou a mulher...

O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital.
Ela voltou com febre.
Todos sabem que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja de galinha.
O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal.

Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la.
Para alimentá-los, o fazendeiro matou o porco.

A mulher não melhorou e acabou morrendo.

Muita gente veio para o funeral. O fazendeiro então sacrificou a vaca, para alimentar todo aquele povo.


Moral da História:


Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que o problema não lhe diz respeito, lembre-se que quando há umaratoeira na casa, toda fazenda corre risco.

O problema de um é problema de todos!

PS.: excelente fábula para ser divulgada principalmente na família e em grupos de trabalho!


"Nós aprendemos
a voar como os pássaros,
a nadar como os peixes,
mas ainda não aprendemos
a conviver como irmãos. "

sexta-feira, 9 de Março de 2012

FAZ AMANHÂ (10 de Março) UM ANO -- Fiquei sem ti

Sem ti

E de súbito desaba o silêncio.
É um silêncio sem ti,
sem álamos,
sem luas.

Só nas minhas mãos
oiço a música das tuas.

Eugéniode andrade





A tua morte é sempre nova em mim.
Não amadurece. Não tem fim.
Se ergo os olhos dum livro, de repente
tu morreste.
Acordo, e tu morreste.
Sempre, cada dia, cada instante,
a tua morte é nova em mim,
sempre impossível.

E assim, até à noite final
irás morrendo a cada instante
da vida que ficou fingindo vida.
Redescubro a tua morte como outros
redescobrem o amor,
porque em cada lugar, cada momento,
tu estás viva.

Viverei até à hora derradeira a tua morte.
Aos goles, lentos goles. Como se fosse
cada vez um veneno novo.
Não é tanto a saudade que dói, mas o remorso.
O remorso de todo o perdido em nossa vida,
coisas de antes e depois, coisas de nunca,
palavras mudas para sempre, um gesto
que sem remédio jamais teve destino,
o olhar que procura e nunca tem resposta.

O único presente verdadeiro é teres partido.

Casais Monteiro

quarta-feira, 7 de Março de 2012

CONTO DO VIGÁRIO ( Sua Origem )


Vivia há já não poucos anos, algures, num concelho do Ribatejo, um pequeno lavrador, e negociante de gado, chamado Manuel Peres Vigário.
Da sua qualidade, como diriam os psicólogos práticos, falará o bastante a circunstância que dá princípio a esta narrativa. Chegou uma vez ao pé dele certo fabricante ilegal de notas falsas, e disse-lhe: «Sr. Vigário, tenho aqui umas notazinhas de cem mil réis que me falta passar. O senhor quer? Largo-lhas por vinte mil réis cada uma.» «Deixa ver», disse o Vigário; e depois, reparando logo que eram imperfeitíssimas, rejeitou-as: «Para que quero eu isso?», disse; «isso nem a cegos se passa.» O outro, porém, insistiu; Vigário cedeu um pouco regateando; por fim fez-se negócio de vinte notas, a dez mil réis cada uma.
Sucedeu que dali a dias tinha o Vigário que pagar a uns irmãos negociantes de gado como ele a diferença de uma conta, no valor certo de um conto de réis. No primeiro dia da feira, em a qual se deveria efectuar o pagamento, estavam os dois irmãos jantando numa taberna escura da localidade, quando surgiu pela porta, cambaleando de bêbado, o Manuel Peres Vigário. Sentou-se à mesa deles, e pediu vinho. Daí a um tempo, depois de vária conversa, pouco inteligível da sua parte, lembrou que tinha que pagar-lhes. E, puxando da carteira, perguntou se, se importavam de receber tudo em notas de cinquenta mil réis. Eles disseram que não, e, como a carteira nesse momento se entreabrisse, o mais vigilante dos dois chamou, com um olhar rápido, a atenção do irmão para as notas, que se via que eram de cem. Houve então a troca de outro olhar.
O Manuel Peres, com lentidão, contou tremulamente vinte notas, que entregou. Um dos irmãos guardou-as logo, tendo-as visto contar, nem se perdeu em olhar mais para elas. O vigário continuou a conversa, e, várias vezes, pediu e bebeu mais vinho. Depois, por natural efeito da bebedeira progressiva, disse que queria ter um recibo. Não era uso, mas nenhum dos irmãos fez questão. Ditava ele o recibo, disse, pois queria as coisas todas certas. E ditou o recibo – um recibo de bêbedo, redundante e absurdo: de como em tal dia, a tais horas, na taberna de fulano, e
«estando nós a jantar (e por ali fora com toda a prolixidade frouxa do bêbedo...), tinham eles recebido de Manuel Peres Vigário, do lugar de qualquer coisa, em pagamento de não sei quê, a quantia de um conto de réis em notas de cinquenta mil réis. O recibo foi datado, foi selado, foi assinado. O Vigário meteu-o na carteira, demorou-se mais um pouco, bebeu ainda mais vinho, e daí a um tempo foi-se embora.
Quando, no próprio dia ou no outro, houve ocasião de se trocar a primeira nota, o que ia a recebê-la devolveu-a logo, por escarradamente falsa, e o mesmo fez à segunda e à terceira... E os irmãos, olhando então verdadeiramente para as notas, viram que nem a cegos se poderiam passar.
Queixaram-se à polícia, e foi chamado o Manuel Peres, que, ouvindo atónito o caso, ergueu as mãos ao céu em graças da bebedeira providencial que o havia colhido no dia do pagamento. Sem isso, disse, talvez, embora inocente, estivesse perdido.
Se não fosse ela, explicou, nem pediria recibo, nem com certeza o pediria como aquele que tinha, e apresentou, assinado pelos dois irmãos, e que provava bem que tinha feito o pagamento em notas de cinquenta mil réis. «E se eu tivesse pago em notas de cem», rematou o Vigário «nem eu estava tão bêbedo que pagasse vinte, como estes senhores dizem que têm, nem muito menos eles, que são homens honrados, mas receberiam.» E, como era de justiça foi mandado em paz.
O caso, porém, não pôde ficar secreto; pouco a pouco se espalhou. E a história do «conto de réis do Manuel Vigário» passou, abreviada, para a imortalidade quotidiana, esquecida já da sua origem.
Os imperfeitíssimos imitadores, pessoais como políticos, do mestre ribatejano nunca chegaram, que eu saiba, a qualquer simulacro digno do estratagema exemplar. Por isso é com ternura que relembro o feito deste grande português, e me figuro, em devaneio, que, se há um céu para os hábeis, como constou que o havia para os bons, ali lhe não deve ter faltado o acolhimento dos próprios grandes mestres da Realidade – nem um leve brilho de olhos de Macchiavelli ou Guicciardini, nem um sorriso momentâneo de George Savile, Marquês de Halifax.
.
Contado por Fernando Pessoa.
.
(publicado pela primeira vez no diário Sol, Lisboa, ano I, nº 1, de 30/10/1926, com o título de «Um Grande Português». Foi publicado depois no Notícias Ilustrado, 2ª série, Lisboa, 18/08/1929, com o título de «A Origem do Conto do Vigário».

quinta-feira, 1 de Março de 2012

quinta-feira, 23 de Fevereiro de 2012

3 EM 1 NA AUSTRÁLIA

A 26 de Janeiro em Perth, na Austrália, uma multidão juntou-se numa praia local para testemunhar um espectáculo de fogo-de-artifício. Entretanto, uma trovoada começou a aparecer do lado direito. Mas o mais inesperado, foi entre estas duas manifestações de luz aparecer uma terceira, o Cometa McNaught, actualmente visível no hemisfério sul.
Labutesman


terça-feira, 21 de Fevereiro de 2012

A HISTÓRIA DA BICICLETA

Achei muito interessante este documento e com ele e aos poucos vou tentar retornar a este sítio.
Espero contar com as vossas visitas.
Beijinhos

terça-feira, 20 de Dezembro de 2011



A Todos aqueles que procuraram aquecer-me com o calor da amizade neste ano tão frio da minha vida, eu envio a minha gratidão, com os meus votos de Santo Natal e que em família vivam a presença do Menino Jesus.

Aos outros que eu acompanhava, mas que neste período de luto me esqueceram, eu desejo que o Menino Jesus os afate de momentos de dor mas que em qualquer circunstânciasintam sempre o calor da amizade, pois só ele é capaz de confortar nos momentos de maior tensão.

Para todos o meu abraço

Isabel

domingo, 6 de Novembro de 2011

LANÇAMENTO DE LIVRO

Há muitas formas de homenagear os que nos fazem falta.

Entre elas encontrei mais esta...



E agora depois de cumprir uma sua vontade antiga, sinto-me mais em Paz.

Um bom domingo para todos

sábado, 23 de Julho de 2011

NÃO É PARA JÁ!

NÃO É PARA JÁ!
Queridas Amigas

Não têm sido muitas, mas persistentes, aquelas que me têm vindo procurar.
Não estou preparada nem com inspiração para continuar por aqui, onde paira a boa disposição, a leveza de espírito e a descontração.

Realmente sinto que ainda não chegou a minha hora e tenho a certeza que a melancolia com que vos brindaria, não iria ser do agrado da maioria de vós.

Resta-me pois agradecer às poucas, mas constantes amigas que se preocuparam com o meu bem-estar. Essas sim, guardarei na minha agenda da amizade.

A grande perda que tive ensinou-me uma lição... Se consigo sobreviver com esta perda, posso e quero definitivamente considerar perdidas todas aquelas "amigas", que apareciam quando eu estava bem disposta, participativa, quando inventava passatempos, quando me preocupava com as sua próprias mágoas e que agora estão no seu canto.

UM ABRAÇO

PODE SER QUE UM DIA REGRESSE!

domingo, 15 de Maio de 2011

MOVIMENTO JOVENS XXI

.

Este foi a mensagem deixada pelo grupo de "MOVIMENTO JOVENS XXI", que comemora hoje o 12º aniversário.

Este grupo nasceu e fotaleceu-se na Paróquia de Nª Sª da Areosa, situada na zona oriental da cidade do Porto.
Esta paróquia, criada a 4 de Março de 1979, teve sempre uma grande preocupação de levar os jovens a entender a necessidade de se prepararem para serem no futuro o fermento dos valores e vivências cristãs.
Assim, num clima de alegria e sã convivência e antevendo as modificações que adviriam com a chegada do Século XXI, foi lançado um desafio a um grupo de jovens para que eles se preparassem para serem o "fermento" na Paróquia.
O grupo mantem-se há 12 anos. Partiram uns, chegaram outros, mas todos se esforçam por dar vida, modernidade e fé à nossa Paróquia.

PARABÉNS AO GRUPO que sobressai numa época em que os valores e atitudes deixam por vezes muito a desejar.

PARABÉNS À PARÓQUIA, que os soube entusiasmar, acolher e informar, continuando a honrar a sua presença.

segunda-feira, 9 de Maio de 2011

VISUALIZAÇÃO CRIADORA


SHAKTI GAWAIN, é uma escritora inicialmente licenciada em psicologia e mais tarde viajando pela Europa e Ásia, estuda psicologia oriental, meditação e ioga.
Instala-se na Califórnia e passa a orientar cursos e a animar ateliers de VISUALIZAÇÃO CRIADORA, célebres no mundo inteiro.

Esta psicóloga editou um livro que li e no qual encontrei algumas dicas que poderão ajudar-nos a enfrentar a vida de outra forma e quem sabe torná-la mais objectiva e feliz.

Aconselho-vos:
"Techniques de Visualisation Créatrice" - Edições J'Ai Lu(não sei se existe tradução em português),


Vou deixar-vos alguns parágrafos soltos, para vos aguçar o apetite, ou quem sabe poderem dizer ...
"Há muito que estou no bom caminho"

Mas mesmo assim leiam ...Há sempre algo a descobrir ...

"Tudo o que o que pensamos com maior convicção, o que desejamos mais profundamente e imaginamos com mais força e positividade, conseguimos que venha até nós ...!"


"O processo não se faz de forma superficial assentando apenas no "pensamento positivo"... ele implica exploração, descoberta e modificação das nossas atitudes fundamentais perante a vida...."

"No decurso deste processo descobrimos muitas vezes domínios nos quais estamos inibidos e limitados porque os nossos medos e conceitos negativos, nos fecharam as portas da satisfação e plenitude".

Quando conseguirdes utilizar a visualização criadora e acreditarem nos resultados que ela oferece, vereis que ela toma parte integrante no vosso processo de pensamento. Será um estado de consciência permanente no qual sabeis constantemente que sois o criador da vossa vida.
O último estádio da Visualização Criadora é que faz de cada instante da nossa vida o teatro maravilhoso da criação e nos permite escolher espontâneamente a melhor existência, a mais bela e a que nos encherá de maior satisfação"""...


Deixo-vos o resto do livro para que descubram o real interesse que tem para vós.

Uma boa semana!

sábado, 7 de Maio de 2011

ORGULHO-ME DE SER PORTUGUESA!

Vejam este vídeo e acreditem que vale a pena sermos PORTUGUESES



VIVA PORTUGAL!

segunda-feira, 2 de Maio de 2011

INVASÃO DA UCRÂNIA EM AREIA

Este vídeo circula na internet, mas como pode não ter sido visto por todos, atrevo-me a colocá-lo aqui, pois arte como esta não pode ser desperdiçada

Kseniya Simonova foi a vencedora da edição Ucraniana do Got Talent (Tens Talento).
Ela recriou a invasão da Ucrânia pela Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial, tendo usado os dedos e uma superfície com areia.
Trouxe lágrimas aos olhos de juízes e do público.
Foram 8 minutos maravilhosos que demonstraram um talento especial e trouxeram, através da arte, a memória viva de uma guerra que marcou várias gerações.
É de arrepiar mesmo.

Apreciem e comovam-se também

BIN LADEN




Cada um tem o fim que merece!

Pena é que atrás dele tenha levado tantos inocentes, e tenha deixado tantos preparados para seguir o seu traçado terrorista.

Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, disse que os cristão "não se regozijam" com uma morte, mas que ela serve para relembrar cada um de sua responsabilidade perante Deus e os homens.

sábado, 30 de Abril de 2011

1 DE MAIO - DIA GRANDE

Amanhã, 1 de Maio de 2011, será um dia com grandes e variadas celebrações, cada qual no seu nível, mas todas elas com um enorme impacto emocional e humano.

A Igreja Católica, e estou certa não apenas ela, vai sentir-se feliz por ver aberto mais um caminho para a santidade.



PARABÉNS A TODOS OS QUE ACREDITAM E VIVEM NA SANTIDADE!

Depois, um pouco por todo o lado, mulheres com M, serão acariciadas de forma diferente. Celebra-se o DIA DA MÃE, daquela mulher que faz da sua fragilidade força, do seu coração ternura e dos seus braços uma fita de seda fina para aconchegar os seus meninos




PARABÉNS MÃES!

Depois ... muita gente não VALORIZA, mas não podemos esquecer que a vida se constrói de momentos, de emoções, de sinais...

A Benção das Fitas dos finalistas dos diferentes cursos superiores, é um marco nas suas vidas. Assinala o fim da vida de estudante e o começo da procura de um lugar ao sol.


PARABÉNS AOS JOVENS que amanhã vão encher com a sua alegria a nossa Avenida dos Aliados e Praça da Liberdade no Porto.

Por último não quero esquecer os QUE TRABALHAM.
Aqueles que festejam o seu dia não pela crítica e luta social, mas porque sentem a alegria do dever cumprido e do seu contributo para o bem comum.



PARABÉNS A ESSES TRABALHADORES!