quinta-feira, 7 de maio de 2009

DIA DA EUROPA - 9 de Maio

.
.
9 de Maio de 1950

Robert Schuman apresentou uma proposta de criação de uma Europa organizada, requisito indispensável para a manutenção de relações pacíficas.

Esta proposta, conhecida como "Declaração Schuman", é considerada o começo da criação do que é hoje a União Europeia.

Com efeito, poucos cidadãos europeus sabem que nesta data nasceu a Europa comunitária, numa altura em que, devemos recordá-lo, a perspectiva de uma terceira guerra mundial angustiava toda a Europa.

Nesse dia, em Paris, a imprensa foi convocada para as dezoito horas no Salon de l'Horloge do Quai d'Orsay, quartel-general do Ministério dos Negócios Estrangeiros francês, para uma "comunicação da maior importância".

As primeiras linhas da declaração de 9 de Maio de 1950, redigida por Jean Monnet, comentada e lida à imprensa por Robert Schuman, Ministro dos Negócios Estrangeiros da França, dão imediatamente uma ideia da ambição da proposta: "A paz mundial não poderá ser salvaguardada sem uma criatividade à medida dos perigos que a ameaçam". "Através da colocação em comum de produções de base e da instituição de uma Alta Autoridade nova, cujas decisões ligarão a França, a Alemanha e os países que a ela aderirem, esta proposta constituirá a primeira base concreta de uma federação europeia, indispensável à preservação da paz".

Era assim proposta a criação de uma instituição europeia supranacional, incumbida de gerir as matérias-primas que nessa altura constituíam a base do poderio militar, o carvão e o aço. Ora, os países convidados a renunciar desta forma ao controlo exclusivamente nacional destes recursos fundamentais para a guerra, só há muito pouco tempo tinham deixado de se destruir mutuamente num conflito terrível, de que tinham resultado incalculáveis prejuízos materiais e, sobretudo, danos morais: ódios, rancores e preconceitos.

Assim, tudo começou nesse dia, razão que levou os Chefes de Estado e de Governo, na Cimeira de Milão de 1985, a decidirem celebrar o 9 de Maio como "Dia da Europa".

Os diversos países, ao decidirem democraticamente aderir à União Europeia, adoptam os valores da paz e da solidariedade, pedra angular do edifício comunitário.
Estes valores concretizam-se no desenvolvimento económico e social e no equilíbrio ambiental e regional, únicos garantes de uma repartição equilibrada do bem-estar entre os cidadãos.

A União Europeia está atenta aos desejos dos cidadãos e coloca-se ao seu serviço. Conservando a sua especificidade, os seus hábitos e a sua língua, todos os cidadãos se devem sentir em casa na "pátria europeia", onde podem circular livremente.

Actualmente o dia 9 de Maio tornou-se um símbolo europeu (Dia da Europa) que, juntamente com a bandeira, o hino, a divisa e a moeda única (o euro),identifica a identidade política da União Europeia.

O hino europeu não é apenas o hino da União Europeia, mas de toda a Europa num sentido mais lato. A música é extraída da 9ª Sinfonia de Ludwig Van Beethoven, composta em 1823,

No último andamento desta sinfonia, Beethoven pôs em música a "Ode à Alegria", que Friedrich von Schiller escreveu em 1785. O poema exprime a visão idealista de Schiller, que era partilhada por Beethoven, em que a humanidade se une pela fraternidade.

A moeda é o euro

A bandeira é a que se encontra no início deste post. É a bandeira da Europa, símbolo não só da União Europeia, mas também da unidade e da identidade da Europa em sentido mais lato. O círculo de estrelas douradas representa a solidariedade e a harmonia entre os povos da Europa.

O número de estrelas não tem nada a ver com o número de Estados-Membros. As estrelas são doze porque tradicionalmente este número constitui um símbolo de perfeição, plenitude e unidade. Assim, a bandeira mantém-se inalterada, independentemente dos alargamentos da UE

(Tive necessidade de colocar este post antecipadamente, porque devo ausentar-me até
3ª feira).
Até lá
Um abraço
Licas

6 comentários:

brasileirinha disse...

OBRIGADA POR MAIS ESTE CONHECIMENTO.
OS BLOGS PODEM SER UMA FONTE DE AQUISIÇÃO DE CONHECIMENTO E ENRIQUECIMENTO CULTURAL.
ISTO ME DEIXA FELIZ.
GRANDE BEIJO.

Teté disse...

Pois, a adesão à UE teve (e tem) vantagens e desvantagens, que é como tudo na vida.

Gosto dessa "Ode à Alegria", que conheço desde sempre, mas nem sabia que era o hino europeu... Estamos sempre a aprender!

Beijocas, Licas!

Fátima André disse...

Licas,
Desejo-lhe uma óptima ausência :)

Devo dizer-lhe que não tem necessidade de postar antecipadamente. Se quiser pode programar a saída dos post para quando o entender (basta alterar a data de edição). Eu faço isso com muita frequência, particularmente, nas minhas ausências.
Um beijinho

Christiana disse...

Olá :)
a nossa menina está óptima. anda apenas numa correria (das saudáveis). conseguiu a autorização para a realização dos dois tempos de estágio cá na madeira, então fica por cá até junho, salvo erro... anda apenas sem tempo para o blog, está a recuperar algum do tempo "perdido" com amigos, família e namorado. está serena e com um brilhozinho nos olhos ;) assim que lhe deram um minutinhos ela actualiza o blog ;) mas está realmente a correr tdo mto bem! até dá gosto senti-la sem tempo, porque anda realmente sorridente ;)
um grande beijinho, penso k no fim de semana ela actualiza o blog e certamente da-lhe noticias ;)
um beijinho e um óptimo fim-de-semana! muaha*

Christiana disse...

*assim que lhe derem* ;)

ematejoca disse...

A adesão de Portugal à UE só trouxe vantagens ao nosso país.

Sei de cor o "Ode à Alegria"!

Um bonito fim-de-semana, Licas!