sábado, 9 de maio de 2009

Clube das Virgens já tem 15 sócias

Margarida Menezes de 26 anos é virgem e sonha com um príncipe encantado. Menezes fundou a 13 de Janeiro de 2008 o «Clube das Virgens» , mas até ser recentemente mediatizado por revistas, jornais e televisões não tinha sócios. «Tentei angariar raparigas virgens para o Clube, mas as que me responderam disseram que já não eram. Cheguei a desistir da ideia porque não aparecia nenhuma», explica a Margarida. Agora já tem 15 membros e recebe muitos e-mails de raparigas e rapazes que compreendem e aplaudem a posição, mas também lhe chegam mensagens de pessoas que não acreditam na virgindade que dizem ser uma estratégia para atingir a fama.

Margarida recebe mensagens de mães que querem apresentar os filhos

Com a recente exposição mediática, Menezes revela que até recebe pedidos de mães que gostariam de apresentar os seus filhos e que a consideram como a «nora ideal». «As pessoas mais antigas preferem uma rapariga virgem para o filho do que uma rapariga que já teve vários namorados, porque ainda têm aquela ideia do antigo que era assim que devia ser». Algumas mães até descrevem que os «rebentos» têm as características que a Margarida procura e que gostaram muito de a ver na televisão. «As mães deles escrevem a dar o número de telefone e e-mail dos filhos. Dizem que eles são tímidos e que se conversasse com o filho talvez encontrasse a pessoa que estou à procura», revela Margarida acrescentado ainda que acha «engraçado os mails».

Mas como será o príncipe encantado de Margarida?

De acordo com a própria, e após muitos anos de idealizações, teria de ter até 30 anos e ser mais alto que ela, para poder usar sapatos altos, o que daria cerca de 1,80m de altura. Os olhos deveriam ser claros, não importa se azuis ou verdes, mas teriam de ser «intensos». O aspecto do sorriso também não escapa, visto que os dentes têm de ser direitos e branquinhos. «Eu ligo muito à maneira da pessoa olhar, da expressão do rosto e de um sorriso bonito», afirma.

Um «corpo Danone» bem cuidado é outra das exigências juntamente com a qualidade de bom dançarino. Margarida chega mesmo a descrever a cena final do filme «Dança Comigo» com Patrick Swayze, onde o actor que também é bailarino dança com a namorada ao som da música «Time of my life». «Quando ia aos bailaricos ficava sentada a imaginar o Patrick Swayze a entrar pela porta para me pegar para dançar. Agora está velhinho, mas eu olhava para ele e delirava. Eu ainda tenho a cena final no meu computador. É excelente», revela Margarida.

Quanto às características, o príncipe encantado deve ser romântico, deve saber escrever poemas, ser comunicativo e divertido. A tudo isto deve ainda juntar a atracção, um «clique inicial». Já o encontro perfeito seria um passeio na praia. «Eu gosto muito de olhar o mar, de ficar ali só de mão dada a passear na areia», diz a fundadora do «Clube das Virgens».

A fundadora do Clube das Virgens à espera de um sinal

A exposição da virgindade começou por um convite que recebeu no blogue para participar num congresso que ia abordar o tema «desejo». Desde que «falei a 27 e 28 de Abril fui entrevistada por vários órgão de comunicação social» e muitas notícias foram publicadas sobre o tema. Apesar das várias opiniões, Margarida não desiste de encontrar o seu parceiro ideal. «Por vezes fico à espera de um sinal, olho para a esquerda para a direita». Um príncipe encantado que pode aparecer quando menos se espera.

SERÁ?????
Não acham que as exigências da Margarida em relação ao seu Principe Encantado, assentam em pressupostos muito pouco significativos?
E a formação humana cultural e social, naõ será de ter em conta?
Não será que está a colocar demasiadas expectativas relativamente ao "seu aspecto" e descora aquelas características que poderão fazer dela uma pessoa feliz????
Ser virgem chega???

Posso enganar-me, mas o que li, não me parece suficiente nem para que a consideremos "uma boa nora", nem o suficiente para arranjar o Principe Encantado.

Ajudem a interpretar este novo clube.
Beijinhos
Licas

12 comentários:

ARTISTA MALDITO disse...

Olá Isabelinha

Eu vou ser o mais sincera que posso, se tivesse um filho não queria esta senhora para minha nora. É tonta, sem nada na cabeça a não ser modelos standardizados do que é um ser humano, do que é o amor e mais, do que significa Amar.

Além disso, há mulheres que não são virgens e têm mais dignidade e pureza nos seus sentimentos.

Ao que chegam certas mulheres para serem mediáticas, vendem-se facilmente.

Isabelinha, eu é assim que penso, o ser humano, homem ou mulher, devia dignificar-se com outros atributos: inteligência, beleza interior, honestidade, generosidade, etc.

E pronto, dei a minha opinião.

Beijinhos um excelente fim de semana
Isabel

ematejoca disse...

Olá Licas!
Essa menina "virgem"??? procura o Príncipe Encantado. No entanto, tenho duas perguntas na ponta da língua:
Se ela também é uma Príncesa Encantada, ser virgem não chega!!!E se há algum Príncipe Encantado que a queira.

Não foram atributos como inteligência, beleza interior, honestidade, generosidade, etc., que procurei no meu Príncipe Encantado. Casei com ele pura e simplesmente por ser bonito... e foi uma escolha de primeira àgua!

Um excelente fim de semana, Licas!

Ovinho Estrela(do) disse...

Licas!

Tenho para mim que a Margarida, enquanto espera pelo seu príncipe encantado, vai ter que se entreter com alguns vilões!

Para mim, o ideal de homem/mulher é inconcebível.

Ideal é aquela pessoa que nos aparece no momento, que pode até nem ser o certo, mas que fica dentro de nós, da alma, do coração e que não sai do nosso olhar.

Não acredito em príncipes encantados.

Mas sabe... Acredito, sem sombra de dúvidas, em amores perfeitos! Que os há!

Quanto ao clube das virgens, é como digo: que vão idealizando, pelo meio, muitos vilões! Só por uns tempos... enquanto o príncipe não vem! ;)

Miudagem tonta, com mãezinhas a alimentar "egos"... (suspiro)

Beijo grande e obrigada pelas suas palavras na Tite.

BC disse...

Olá amiga deve estar admirada com a minha ausência agora de vez em quando fujo mas sabe as razões, esta semana tive que ir com a Mia fazer a intervenção (na outra, já estou toda baralhada), esta semana voltei para ver se estava tudo bem______________tenho que voltar na outra semana a pele não estava ainda muito bem, fez uma alergia aos pensos.
Entretanto o Gonç~lo é que fez o programa das virgens e nesse dia veio com febre e cheio de dores de garganta até hoje, muita tosse, já foi ao médico duas vezes daí o meu silêncio tenho andado cansada e sem
disposição para nada.
E das virgens já não falo porque o Gonçalo veio doente :)S
Ele faz esse programa todas as 5ºs feiras, está a tabalhar com o Rodrigo agora.
Beijinhos e bom fim de semana
Isabel

Maria Emília disse...

Cada um que gaste o seu tempo à sua maneira.
Eu tenho um casamento que dura há 38 anos. Firme e feliz. O meu marido não tem nada que ver com o hipotético príncipe encantado que posso ter sonhado na minha adolescência. Penso que ser moralmente bem formado é um atributo importante a considerar. Saber aceitar o outro como ele é, com as suas qualidades e defeitos. E depois... as pessoas mudam com os anos e com a vida. Não vão ficar sempre os principes encantados dos 25 anos.
Um abraço,
Maria Emília

Viviana disse...

Olá Isabel,

Eu vi na TV esta reportagem e não fiquei muito esclarecida.

Não percebi bem...

Conheço um movimento Cristão Evangélico em Portugal, de onde fazem parte meninas (jovens) que decidiram guardar a sua virgindade para o casamento.

Um movimento sério, cujo nome não recordo neste momento, mas em que não estão á espera da chegada de um apaixonado.

È apenas um escolha pessoal consciente


Eu aplaudo.

um abraço

viviana

Teté disse...

Oh, Licas, não vi nem li nada sobre esta fundadora do "Clube das Virgens", embora também me pareça que pode ser uma opção própria, sem precisar de um clube a "acompanhar"...

Quanto ao "príncipe" que ela pretende, achei o retrato de uma futilidade extrema: para além de só focar aspectos de beleza física, a par de uns atributos de dança, romantismo e assim, nada de tudo o que me parece mais importante - valores familiares, pessoais, sociais e culturais todos atirados para um canto da gaveta, como secundários?

E, sendo ou não auto publicidade (que ainda há muita gente pateta nesta terra), quem é a mãe que quer ser ela a escolher a "virgem" para o seu filho? O rapaz/homem não sabe escolher sem a ajuda da mãezinha? E as opiniões de um e outro coincidem?! Duvido! Parece-me tão arcaico como aqueles casamentos "arranjados" aos nossos antepassados, ou ainda hoje em muitas partes do mundo não ocidental.

Beijinhos!

Licas disse...

Pois é minhas lindas!
Estamos todas de acordo.
Meninas destas, com 29 anos que se prendem com coisas "tão fúteis". Não considero fútil preservar a sua virgindade. É uma sua opção, que a ser séria não precisa de ser badalada.
Chamar mais gente para o clube porquê? Será por questões religiosas? Nem isso me parece, pois ao definir o seu Principe Encantado revelou muita imaturidade, muito superficialismo, muito poucas convicções.
Será para dar nas vistas e alcançar o Seu Principe??? Não me parece o bom caminho.
Não quero pensar que este caso (sem ofensa) se assemelha aos restaurantes que avisam no exterior os seus pratos sem igual e depois na realidade, eles são nem mais nem menos que os que existem em todos os restaurantes.
É este o meu juízo e se por um lado acredito nesta jovem MULHER, por outro não a entendo.

Não é por ser já uma sessentona, porque no nosso tempo priviligiava-se a virgindade, embora todos fossem livres de apreservar ou não, portanto deveria estar mais sensibilizada para este "lindo acto de castidade".

Perdoem-me, mas termino com um provérbio bem português: "Não é preciso o loureiro à porta para saber onde está o vinho verde bom".

Licas

Fátima André disse...

Licas,

Não vi a reportagem, por isso, não posso pronunciar-me sobre ela, mas o dito clube do qual pouco li, mas espreitei o blog da "fundadora" desta "idiotice". Concordo com a Isabel Monteverde. Penso tratar de mais um caso de mediatismo. A Virgindade, a Castidade, a Pureza de coração... são valores que não fazem barulho, antes pelo contrário, reconhecem-se pelas atitudes e simplicidade das pessoas que os praticam. A avaliar pelo que li no blog da tal Margarida, devo dizer que não gostei, sou sincera.

Fátima André disse...

Isabel,
Agora que li o seu comentário, reforço:

"Não é preciso o loureiro à porta para saber onde está o vinho verde bom".

Não conhecia, mas este provérbio diz tudo o que penso sobre esta matéria.

BC disse...

Amiga Licas depois falo consigo agora vim só dizer-lhe para ir buscar um prémio aos SORRISOS
Beijo

ematejoca disse...

Minha cara Licas, no "ematejoca azul há uma menina "très chic" e muito parisiense para ti.
Não posso garantir, que seja virgem!!!

Boa noite!