terça-feira, 27 de outubro de 2009

3º DIA DE VIAGEM - 2ª Parte

Partimos!

Continuando pelo Vale de Liébana chegámos a FUENTE DÉ, que se situa no coração dos Picos da Europa.
Para além da imponente paisagem que neste local se disfruta,ainda pudemos "viajar" de teleférico, a uma altitude de 1800m.



A ascenção é forte e algo medonha quando se vão comparando os tamanhos das casa e pessoas que se deixam ao partir.
Outro momento de reflexão!
Tem que haver - e disso não há dúvidas - um ser superior capaz de dotar a natureza com estas maravilhas.
Lá em cima a paisagem era encantadora e de cortar a fala. Não apetecia ouvir ruído, mas apenas o piar dos corvos e o tilintar das campainhas de duas cabrinhas que, habituadas ao turismo, se erguiam nas patas traseiras e nos abraçavam à espera de uma guloseima. Uma ternura!

Passou depressa o tempo de que dispunhamos para a visita. Quando descemos, sentimos que um pouco de nós ficou por lá
- Não sei se todos sentiram ... Eu senti!

Continuámos viagem para Santillana Del Mar

Santillana del Mar é uma das localidades de maior valor histórico e artístico de Espanha e a principal atracção turística da Cantábria

A vila alberga grandes tesouros arquitectónicos, destacando-se a Collegiata de Santa Juliana, conhecida como a joia mais importante do Românico na Cantábria.


É um mosteiro medieval em estilo românico, construído em cantaria de arenito, à qual foram acrescentados no século XVI e XVII, alguns edifícios, como a South Lodge, a sacristia e a casa do abade.

A entrada é simples encimada por uma fileira de figuras rústicas em relevo



Entra-se depois numa igreja basílica, com um plano de três naves, sendo a central mais ampla. Muito bonito também é o retábulo-mor,em cromo e ouro, com relevos e pinturas, que datam do século XV ou século XVI.

Em Santillana del Mar,o conjunto de casas de pedra dourada dos séculos XV e XVI, sobreviveu, conservando intacto o seu aspecto apesar dos muitos turistas e das lojas de recordações, que nessas casas se instalaram.





Depois de um breve descanso numa tasquinha tradicional e de comprar os chocolates artesanais desta região,regressámos ao autocarro para nos dirigirmos ao último hotel da viagem situado em Santander.
Deste último dia falarei mais tarde

9 comentários:

Teté disse...

Pois, não sei porquê, não simpatizo muito com teleféricos e afins. Talvez por não ter asas... :)

Beijinhos, Licas!

Canduxa disse...

Olá Licas,

Revivi agora este lindo passeio que fiz há 4 anos.
A paisagem é de facto deslumbrante e achei a Cantábria uma região muito bonita.
Ah, e também fui comprar os tradicionais chocolates artesanais...uma verdadeira delícia!

Apesar de já ter passado por aqui só agora tive tempo para apreciar o seu espaço.
Gostei! Virei mais vezes.

Abraço com muita luz

ematejoca disse...

Minha cara Licas!
É quase impossível que me encontres no Porto, porque só ontem é que fui ao centro da cidade.

Já estou farta de telefonar à Isabel Monteverde, mas ela não atende. Deixo sempre mensagens, mas ela nunca me respondeu.
Agora vou ao blogue do António perguntar por ela.

O meu portátil ficou na Alemanha. Este é um dos muitos da Luísa, mas é muito vagaroso.
Estou Matosinhos e dei um salto à Biblioteca Florbela Espanca com o mini-portátil, pois queria colocar no "ematejoca azul" as fotos, que tirei ontem no Porto, mas demora muito tempo e a Karin (com quem estou aqui) está à minha espera na praia.

Até muito em breve em D'dorf!!!

Maça disse...

Quem viajou no mesmo transporte, comeu na mesma mesa e viu as mesmas paisagens, poderá confirmar o humano perfil da autora, o seu belo texto e as ilustrativas fotografias.
E toda esta bela descrição da viagem desperta a vontade de voltar e, especialmente, de continuar a trocar impressões com os participantes.

Um abraço,

Maça

Sónia Costa disse...

ESTOU APAIXONADA PELOS PICOS DA EUROPA!

Sónia Costa disse...

Olá!
Estou a adorar esta viagem.
Quanto ao que me perguntou no outro dia,eu vejo as imagens perfeitamente bem, nunca deu qualquer erro.
E que imagens....Estou maravilhada.

elvira carvalho disse...

Penso que eu nunca conseguiria ir nesse teleférico. Sempre que tentei ir mais acima sofri ataques de pânico. Uma vez no museu se Santo António em Faro sofri um ataque de pânico na escada de caracol que dá para o miradouro e que só passa uma pessoa de cada vez. Durante mais ou menos uma hora, até que os bombeiros me conseguiram retirar, pois paralisei por completo e não conseguia dar um passo, ninguém desceu nem ninguém subiu.
Fotos muito bonitas.
Um abraço e bom fim de semana

BC disse...

Minha amiga apesar de afastada , um pouco, estou sempre perto dos vossos corações acredita, e nunca me esqueço, mas por vezes há coisas que são mais importantes e nos levam todo o tempo, eu explicarei a seu tempo, a saúde é o mais importante agora.
Beijinhos
Isabel

Licas disse...

Queridas Amigas
Por uma razão ou por outra todas acabaram por deixar o seu olá e apreciar o trabalho realizado.
Obrigada por isso.

Desejo que todas resolvam os seus próprios problemas e que sintam necessidade de regressar para este convívio que ultrapassa já, creio eu, a faixa da virtualidade e se torna mais "AMIGO".

Eu estarei por aqui sempre que necessitarem de uma ajuda ou de uma palavra.

A única ajuda que nunca conseguirei dar é à Elvira. Os ataques de pânico são tremendos e só o próprio, por vezes auxiliado por um técnico especializado poderão ser resolvidos.

Tenho até a impressão de que se estivesse na tal escada de caracol, juntamente com a Elvira, os bombeiros em vez de uma, teriam que transportar duas ...

Sítio pequeno, fechado, com outras pessoas, sem vislumbrar uma saída a curto prazo ???? Brrrrrrrr,,,,,
Já tenho pele de galinha.

No teleférico, não senti absolutamente nada. O espaço é muito grande, arejado e sabe-se que dali a 3 minutos estamos a salvo.

Beijinhos
Voltem Sempre
Licas