quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

A TERNURA DOS 40


Pois é ... A culpa é da Teresa (ematejoka azul) ...
Ela disse: Licas, pensa em mais desafios ....

Não é que vou mesmo pensar?

Ou antes ... Já pensei!

Vou precisar da vossa ajuda

Que tal... posso contar com ela?

Aqui vai o pedido:

Dentro de alguns dias dois jovens (um rapaz e uma rapariga) celebram o seu 40º aniversário natalício.
Prepara-se uma reunião familiar e de amigos
e eu gostava de apresentar um pequeno texto para ser lido por uma criança.

Tenho-me desdobrado, mas ainda não consegui o registo certo.

As rabanadas fizeram mal à minha "jovem" cabecita.
E agora o desafio...

Alguém será capaz de me ajudar no tal texto?

Deverá ser curto, simples (de acordo com a idade de quem o lê), mas com conteúdo e ternurento (não lamechas ).

Eu vou continuar a tentar e, tal como vós, apresentá-lo-ei aqui até ao próximo domingo.

VALEU?




Fico a aguardar.
Beijinhos

Licas

12 comentários:

redonda disse...

Vou fazer uma 1ª tentativa:
Aos 40 têm-se finalmente a idade suficiente para começar a apreciar viver, sabendo-se que os maus momentos passam e podemos guardar dos bons a esperança.

ematejoca disse...

Cheguei agora mesmo de Wuppertal, a cidade mais fria da NRW, ainda estou viva, mas cansada e sem imaginação.
Bem ~ ainda há tempo até domingo!

Multiolhares disse...

vou tentar

"Posso ser criança e pouco entender o mundo dos adultos, pois vocês são complicados,mas uma coisa eu sei, que os amo e isso só porque vocês não deixaram a criança que vive em vós morrer é esse amor simples mas forte que nos une,obrigado por existirem, parabéns"

talvez possas misturar e fazer algo de jeito
beijinhos

Teté disse...

OK, vou pensar nesse tal texto comemorativo. :)

Beijinhos, Licas!

ematejoca disse...

Tenho estado a pensar, minha cara Licas, para uma criança, pessoas com 40 anos não são jovens, são sim, matusaléns!

Estou outra vez de fugida, hoje vou até Monheim...

Maria Carmo disse...

A Maria Carmo tem estado a atravessar um período difícil... Passe no seu blogue onde os Filhos deixaram um pedido especial...

Maria Carmo disse...

Muito obrigada pela sua belíssima mensagem. Se conseguirmos um texto apropriado, enviamos?

Isabel e José António, em nome da Maria Carmo

Tite disse...

Licas,

Se a mensagem vai ser lida por uma criança e a mesma tem que ser curta, acho que a Multiolhares acertou na mouche.

Terminaria antes assim...

...obrigada por existirem e por serem os autores de duas obras-primas que esperam ser o vosso orgulho nos dias que estão por vir.

Licas disse...

MEUS QUERIDOS QUARENTÕES

É JÁ SIGNIFICATIVO O CAMINHO PERCORRIDO…
PASSARAM PELA INFÂNCIA IRRESPONSÁVEL
SALTARAM A ADOLESCÊNCIA TEMEROSA
ENTRARAM NOS “INTAS” RECEOSOS
E HOJE PISAM COM SEGURANÇA OS “ENTAS”
MAIS RESPONSABILIDADES?
MAIS TRABALHO?
MAIS INCERTEZAS?
TALVEZ
MAS, E DISSO NÃO TENHO DÚVIDAS …
MUITO MAIS ALEGRIAS E MOTIVOS PARA SORRIREM.

ESTAMOS AQUI!
NÓS, OS FILHOS ORGULHOSOS DOS PASSOS QUE DERAM E DA TERNURA COM QUE NOS ABRAÇAM
E OS AMIGOS QUE CONVOSCO CAMINHAM E APRECIAM A VOSSA POSTURA PERANTE A VIDA

POR ISSO VOS BATEMOS PALMAS, COMO AGRADECIMENTO PELO QUE SOIS E PARA VOS TRANSMITIRMOS FORÇA PARA QUE AGUENTEM OS MUITOS “ENTAS” QUE TEREIS DE ATRAVESSAR.

PARABÉNS

Tite disse...

Vês como tens jeito para dizer e escrever o que sentes?

Só acho que uma criança não teria inspiração, por falta de experiência de vida, para dizer essas palavras.

Parabéns aos filhos e aos pais.

Licas disse...

Tite

Lá jeitinho eu tinha muito para escrever (diziam as más línguas), mas actualmente ando com a cabeça tão cheia de outras coisas que por vezes o pensamento anda tão rápido que sai sem que as mãos tenham tempo para escrever.

Realmente as crinaças não têm "bagagem" para escrever isto, daí que este tenha sido apenas um apontamento meu e se calhar seria aquilo que eiu gostaria de dizer.
A vossa ajuda tem sido fulcral.
Obrigada

Pó de Estrela disse...

há quarenta anos, entre malmequeres coloridos, corriam com o sol nos olhos,o cabelo ao vento e a vida inteira nas mãos.

Hoje, o sol brilha na mesma, mas vocês souberam multiplicá-lo.
o vento sopra , mas vocês construiram anteparos. A vida, essa já não está inteira, porque vocês a repartiram,transplantando bocados da vossa e cuidando dos seus rebentos com amor e carinho.

Esses mesmos rebentos vos devolvem hoje lembranças, carinhos e alegrias, embrulhados em papel mágico, feito de Amor.



Não sei se vai a tempo... Só hoje vi! Ando um pouco como tu, com a cabeça demasiado ocupada e sem para em nada.
Beijinhos minha querida